sábado, 3 de novembro de 2007

E a Morte

Certamente todo mundo já teve alguma experiência de morte, ou na família, ou com amigos, ou em sonhos. A primeira dor que a morte trás para a família e amigos é a dor da perda, da separação eterna. Esse sentimento de perda, que causa pesar, choro e etc, não necessariamente acontece com a morte de fato. As vezes acontece apenas com a sensação de perda. Já aconteceu comigo.

A morte também trás reflexões. Acredito que todo mundo que perdeu algum amigo ou parente refletiu o "além morte". Com o corpo nós já sabemos, ele vai ser alimento de vermes e fertilizante para os capins e árvores do cemitério. Agora já sabes porque os capins do Parque das Flores são tão verdes. Mas, o que acontece com a consciência, que se diz ser a evidência do espírito, depois da morte? Ela acaba? Ou permanece viva? E se vive para onde vai, se vai? Tais perguntas a ciência não responde. Assumindo a existência do espírito, o corpo é apenas um arcabouço para o espírito interagir com o mundo material.

A perda, a saudade e essa reflexão do além morte são as causas do dia de finados, de culto aos mortos e de todo comércio que gira "em torno" dos mortos para a sobrevivência dos vivos.

Na ciência não tem uma teoria que especula o estado de morte e o pós morte, tal como a teoria do "Big Bang" e a teoria da "evolução", que especulam o surgimento da matéria inorgânica e da matéria orgânica respectivamente. A evolução vai além e especula ainda o surgimento da vida. Desde que eu soube da teoria da evolução me pergunto: como a matéria inanimada pode gerar matéria animada (isto é, com vida)? Isto é a geração espontânea ou abiogênese. Ainda existe a biopoese, que é a origem química da vida. Como diria Tiago Ceará, colega do DF, dos caras que "inventaram" essas teorias: "esses são machos heim!"

O mais intrigante é a origem da consciência. Depois das transformações matéria inorgânica para orgânica e da suposta matéria inanimada para animada, onde é que entra a consciência (ou o espírito)? Se a origem da consciência é devido a alguma transformação química certamente teremos uma "matrix", mais cedo mais tarde. Máquinas "conscientes" voltadas contra seu "criador", o homem "consciente".

Essas teorias são cheias de "buracos", a do big bang por exemplo não explica de onde veio a matéria da explosão. Aaah são tantas tantas dúvidas e indagações. A hora não permite!

A verdade é que a ciência não sabe de onde viemos e nem para onde vamos.
Por isso digo: viva a vida, seja completo!


Ai entra a religião. Ela fala do antes e do depois da vida. É por esse motivo que o homem rede-se a ela, porque ela sacia sua fome e sua vontade de comer.

Esse assunto dá pano para as mangas, mas eu vou deixá-las curtas mesmo!

Se ainda estivermos vivos, até a próxima meu Brasil.

7 comentários:

Eglânio disse...

As teorias feitas por meio da ciencia não tem a pretenção de serem verdades absolutas, nem imutávies, o que as tornam mas dignas de reflexão que algumas teorias que não podemos discutir devido à sua natureza dogmática.

Eu disse...

E tenho dito!

Eliasibe Luis disse...

Pois é Eglânio as teorias científicas são mutáveis. O que intriga é uma teoria que não é "fechada", não responde a todas as perguntas, ser aceita pela maioria da comunidade científica. Eu falo da ciência como um todo. Não se prenda só à física.

Cavalcanti disse...

Na moral zibi, vai estudar e deixa a pregação pro pastor da tua igreja. Valeu?

Além do mais, pega mal alguém que quer ser professor da mais nobre ciência ficar repetindo esse papo criado por um povinho que quer ver a humanidade voltar à idade da pedra só pra não verem ameaçadas suas crenças "reconfortantes".

À tempo, perdi há pouco pro câncer uma tia, pessoa muitíssimo querida de toda a família.

Acho um absurdo, uma falta de sensibilidade tamanha, usar de tal argumento pra tentar aumentar o rebanho.

Quanto ao resto do que disseste em teu texto...

"Mas, o que acontece com a consciência, que se diz ser a evidência do espírito, depois da morte?
Ela acaba? Ou permanece viva? E se vive para onde vai, se vai? Tais perguntas a ciência não responde"


"a ciência" não responde por 3 motivos:

1º "a ciência" da forma que você se referiu não existe. É uma generalização das piores. O que
existes são cientistas, indivíduos que agem independentemente e freqüentemente discordam uns dos outros. Fazem isso porquê a discussão aberta e a revisão pelos pares são a melhor forma de se testar uma idéia.

2º O campo de estudos dos cientistas engloba tudo aquilo de que se possa obter evidência, o universo tangível, testável, verificável. Produtos da imaginação das pessoas não são objeto de estudo dos cientistas. Note que o nome do centro em que você estuda é "Centro de Ciências Exatas e da Natureza".

O "Natureza" no nome é muito importante. Cientistas estudam o mundo Natural. O Sobrenatural ou, melhor tipificado, o Imaginário não é e nem pode ser objeto de estudo, por não ser tangível, nem testável, muito menos verificável.(Tu me jura que tu chegou ao final do curso sem ouvir falar em "falseabilidade"???)

3º "Tais perguntas" só tem relevância pra quem crê(acredita sem ter evidências) nesses produtos da criatividade da era antiga.

Quanto à consciência ser evidência do espírito:

Existe um princípio científico(daqueles que os cientistas praticam porquê tornam o trabalho deles mais fácil) que diz que entre duas(ou mais) explicações para um mesmo efeito, a mais simples e que dependa do menor número de pressuposições é a que tem a maior probabilidade de ser a correta.

O que é mais simples?

A consciência ser um fantasminha que:

1º Existe num plano paralelo ao nosso e que, no entanto, ninguém consegue verificar sua existência.

2º Conecta-se ao cérebro humano para o comandar ao nascer(ou no período neuro-formatório intra-uterino?), também de uma forma inverificável.

3º Que continua existindo
mesmo depois da morte do "portador" e vai para junto do "criador"(ele que por si só já é a hipótese científica mais complexa que eu posso conceber).

OU: o resultado de um processo evolutivo que saiu de uma consciência de estado, altamente objetiva, do tipo

"estou vivo, respirando, com a pata esquerda danificada e com fome"

para chegar em uma consciência momentaneamente abstraída da manutenção do ser, altamente subjetiva, do tipo

"Certamente todo
mundo já teve alguma experiência de morte, ou na família, ou com amigos, ou em sonhos. A primeira dor
que a morte trás para a família e amigos é a dor da perda, da separação eterna. Esse sentimento de
perda, que causa pesar, choro e etc, não necessariamente acontece com a morte de fato. As vezes acontece
apenas com a sensação de perda. Já aconteceu comigo."

eventualmente.

processo este que se realiza no tecido cerebral, é verificável, e que estamos começando a entender.

Você consegue responder?

Sobre: "Na ciência não tem uma teoria que especula(sic) o estado de morte e o pós morte, tal como a teoria do "Big Bang" e a teoria da "evolução", que especulam o(sic) surgimento da matéria inorgânica e da matéria orgânica respectivamente. A evolução vai além e especula ainda o surgimento da vida."

1º Ciência não é especulação pura e simples. Cientistas verificam fenômenos naturais, tentam explicar suas causas baseados em conhecimentos adquiridos anteriormente da mesma forma, e, se possível e adequado,
realizar previsões baseados em suas observações.

Embora os termos "teoria científica" e "lei científica" sejam usados com um certo grau de liberalidade atualmente, eles podem ser definidos para propósitos práticos como:

Uma "teoria científica" é um raciocínio baseado em observações massivas de fenômenos naturais, freqüentemente representado sob a forma de equações, capaz de realizar previsões acuradas sobre novos fenômenos a serem descobertos, vide "teoria da evolução dos seres vivos".

Uma "lei científica" é a observação de uma regularidade(freqüentemente matemática) em uma ou mais observações de fenômenos naturais que pode ser expressa de forma sucinta e que não necessariamente possui uma explicação
teórica ao tempo de sua concepção, vide "1ª lei de Newton".

2º "pós morte" é fruto do imaginário, também não é alvo do estudo dos cientistas.

Sobre: "Desde que eu soube da teoria da evolução me pergunto: como a matéria inanimada pode gerar matéria animada (isto é, com vida)? Isto é a geração espontânea ou abiogênese. Ainda existe a
biopoese, que é a origem química da vida."


Pega um livro de Biologia de ensino médio, lê. Se quiser saber mais pega um livro deste tema utilizado no curso de Biologia, lê. Se ainda quiser saber mais procura os artigos publicados nas revistas especializadas de biologia, lê.

Se depois de ler(e compreender) isso tudo você ainda enxergar alguma coisa faltando, és bem-vindo para pesquisares o tema e tentar encaixar as eventuais peças que faltem nesse quebra-cabeça. Isso é fazer Ciência, trabalho de Cientistas.

Sobre: "O mais intrigante é a origem da consciência. Depois das transformações matéria inorgânica para orgânica e da suposta matéria inanimada para animada, onde é que entra a consciência (ou o espírito)? Se a origem da consciência é devido a alguma transformação química certamente teremos uma "matrix", mais cedo mais tarde.Máquinas "conscientes" voltadas contra seu "criador", o homem "consciente"."

O "mais intrigante" é saber como você, um estudante de física prestes a concluir o seu curso,
conseguiu reunir tantas pressuposições subjetivas e desencontradas e chegar a uma conclusão tão estapafúrdia(e cinematográfica) com tanta certeza...

Sobre: "Essas teorias são cheias de "buracos", a do big bang por exemplo não explica de onde
veio a matéria da explosão. Aaah são tantas tantas dúvidas e indagações. A hora não permite!"


É vergonhoso ler um absurdo deste vindo de um estudante de Física. Ser cientista é ter a humildade de
dizer "ainda não sei, vou investigar". Se toda vez que alguém que pretende praticar pesquisa científica ao se deparar com algo cuja resposta desconhece respondesse "sei lá, foi deus que fez e quis que fosse assim" nós hoje não teríamos Física, Química, Biologia e, em consequência: carro, televisão, antibióticos, computadores...

O dia em que não houver mais esses "buracos"(termo inadequadíssimo) o trabalho dos cientistas terá
terminado.

Sobre: "A verdade é que a ciência não sabe de onde viemos e nem para onde vamos."

"A verdade" zibi é que você não faz a mínima idéia das besteiras que fala.

Sobre: "Por isso digo: viva a vida, seja completo!"

1º Como que você diz pra viver a vida? Você não crê com tanta força no post-mortem? Se suicida e vai curtir o after-life pow! Seja coerente uma vez na vida!

2º E ser completo é se entregar a lavagem cerebral de alguém muito menos inteligente que você, que vai
lhe encher de regras e complicações irracionais? Pra mim isso não é ser completo, é atraso de vida...

Sobre: "Ai entra a religião. Ela fala do antes e do depois da vida. É por esse motivo que o homem ede-se(sic) a ela, porque ela sacia sua fome e sua vontade de comer."

Religião entra na cabeça de quem quer, necessidade não há, por mais que você afirme o contrário. A religião fala "do antes e do depois da vida" porquê é fruto da imaginação e pode falar do que quiser sem ter que demonstrar coisa alguma. Subjugar-se a estes "chutes metafísicos" é a última coisa que eu espero de um
físico.

E de novo você generalizou. Você pode ter um grande vazio filosófico/sentimental/sexual(que
você chama de vazio espiritual) e que você acha mais fácil preencher com essas sandices. Verdadeiros cientistas tem fome de conhecimento demonstrável, baseado em fatos físicos e explicado através de raciocínio lógico.

Pra terminar:

Tem uma coleção excelente do Isaac Asimov na biblioteca do DF/DQF, toda em inglês e da capa amarelada, falando sobre as origens, as motivações e os objetivos da ciência moderna, faça um favor a "nós todos" e vai ler, vai...

Um abraço e melhoras.

Cavalcanti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Uljota disse...

huahuahau Será que cavalcante queria bater o recorde de tiago?? Ele falou mais que a postagem de Eliasibe!!!!! uhauhahau

Eu só vim ler o comentário agora e ele me estimulou a retomar o assunto em postagem futura... Relerei a postagem e o ENORME comentário.

Grande abraço.

Nêssynha disse...

Pois é essa teoria do big- bang n tem pé nem cabeça! :p