sábado, 23 de junho de 2007

São João na Contra-Mão

Olha pro céu meu amor, veja como ele está... cinzento. Talvez deva ser esse o novo sucesso das paradas do São João em vista à grande atenção dada atualmente ao aquecimento global e à poluição do nosso planeta. Entretanto, parece que a ladainha tão repetida e disseminada pelos 4 cantos do mundo virtual e do real, a mesma que cada ramo midiático busca reproduzir e aproveitar para vender mais produtos ecologicamente "corretos", não está pegando aqui no Brasil nesta época de São João. As pessoas continuam acedendo suas fogueiras, cortando suas árvores, soltando seus foguetes e seus balões e esquecem as árvores derrubadas e a enxurrada de gás carbônico liberada em tal festança. Pouca gente sabe, mas a tradição de acender fogueiras na festa de São João Batista, data que comemora o nascimento deste profeta, vem de uma promessa feita entre Maria (mãe de Jesus) e Isabel (mãe de João Batista). Estando Isabel grávida na época, deu-se que esta combinou com Maria de acender uma fogueira se seu filho nascesse para que assim pudesse ter o auxílio pós-parto da amiga, visto que elas moravam um pouco distante uma da outra. Portanto, este artefato cultural tão apreciado no Nordeste nestes tempos juninos poderia ser muito bem substituido hoje em dia por um telefone, um celular ou qualquer outro meio de comunicação que permitisse Isabel dar as boas novas a Maria. Claro que sendo assim, a festa não seria tão peculiar e idiossincrática aos brasileiros. De fato, o povo gosta é de ver as brasas subindo aos céus e joãozinho se queimando ao pular a fogueira. Muito mais apropriado se joãozinho for um corrupto deputado...

Entretanto, esse simples fato não seria motivo para deixarmos de acender fogueiras. Existem 3 argumentos que ao me ver são suficientes por si sós para nos realmente pensarmos em abrandar nosso fogo: desmatamento das matas, liberação de CO2 na atmosfera e os problemas respiratórios e de queimadura provocados pelas fogueiras. Para endossar estes argumentos, façamos uma estimativa para um limite inferior de quantas àrvores são derrubadas no São João considerando que para cada fogueira derrube-se uma árvore. A população estimada em Pernambuco é de cerca de 8,4 milhões de habitantes. Se apenas 10% dos indivíduos no estado resolveram acender uma fogueira, temos que 840 mil àrvores foram derrubadas para tal tarefa. Este é o preço que talvez paguemos por cada família querer ter sua própria fogueira em vez de serem feitas fogueiras comunitárias. Vale ressaltar que somente na capital Recife temos uma população de 1,5 milhões de habitantes e que se levarmos em conta a estimativa visual nas ruas, talvez esta estimativa de 10% seja bem baixa... Dada esta estimativa, provavelmente a festa de São João é a delta de Dirac do desmatamento nacional (para aqueles que não conhecem a teoria de distribuições, entendam como pico máximo do desmatamento nacional). Vale lembrar que o desmatamento no Nordeste freqüentemente é feito em regiões semi-áridas e áridas, áreas que são mais frágeis ao desmatamento sendo propensas ao surgimento de zonas de desertificação.

Por outro lado, há de se concordar que o coitado do São João não é o senhor de todos os males. Antes disso, o profeta São João tem uma representatividade muito maior nos textos eclesiásticos. São João é visto como um duplo profeta, pois além de profetizar em vida, seu nascimento foi profético. Isabel, mãe de João, era considerada infértil na época e Zacarias, marido de Isabel, era mudo por causa de sua pouca fé. O nascimento de João anunciou a chegada de tempos messiânicos onde a esterilidade tornar-se-ia fecundidade e o mutismo, exuberância profética (http://www.ecclesia.com.br/sinaxe/joao_batista.htm) . Dados os danos que a festa de São João tem dado ao homem, talvez a profecia torne-se invertida hoje em dia. Se continuarmos abusando indiscriminadamente e sem parcimônia os nossos tão sagrados recursos naturais, a fecundidade poderá tornar-se esterilidade e humanidade diante do caos talvez fique muda, sem ter mais opções para reverter os malefícios propagados. Cada passo deve ser repensado neste dias tão cheios de absurdos e com tanto seres humanos no mundo. A superpopulação, as doenças e o desgaste advindos da profícua fecundidade dos seres humanos e a má administração dos recursos naturais são reais e presentes todos os dias das nossas imperfeitas e limitadas vidas. Cada golfada de ar faz surgir um novo sofrimento. E a todo instante surge um novo impasse. E para aqueles que acham que devem aproveitar a vida ao máximo, que tudo esse sofrimento e desgaste só serão insuportáveis daqui a 1000 anos, preparem-se para as conseqüências. Os problemas já estão aí e são o mote do dia. A qualidade irá cair drasticamente dentro de 50 anos se não fizermos alguma coisa para mudar o paradigma atual na utilização do nosso planeta. Portanto, sejamos mais racionais e respeitemos o verdadeiro recado que a festa de São João deveria nos dar: o de novos tempos de fecundidade e de profecias otimistas (suponho que a exuberância profética seja de profecias otimistas). Usemos a força de nossa cultura para propagar novas idéias e pensamentos que farão a humanidade crescer como tal e perpetuar-se como espécie. Não queimemos o verdadeiro espírito da natalidade de São João. E você, São João, nos ajude e pare de andar na contra-mão!

Links úteis:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pernambuco
http://acertodecontas.blog.br/atualidades/alunos-da-ufpe-fazem-protesto-contra-fogueiras/

2 comentários:

Eliasibe Luis disse...

Meu quirido Fábio, tu tais "danadinho" heim! Continue assim, muito bom.

Meu irmão, tu postasse um tema que eu tava pensando, hj, em postar. Afinal, a pesar de suas tradições e da sua origem a festa é boa, suscita o regionalismo entre outras coisas. Mas a tal da fumaça é a pior coisa que tem, ou coisa ruim heim, além de ser ruim pra o meio ambiente, indo contra todos os esforços da momento em conter a poluição (acho q tow repetindo o q falaste no texto - ainda não li :]), faz um mal medonho a saúde.

E logo hj q amanheci resfriado!

È isso ai meu velho, grande abraço!

Uljota disse...

Fantástico!
Antes do fim sabia que era de fábio! hahaha...

Muito bem! grande abraço e apareço em breve.